»» Euripedes Barsanulfo  




      Mas quem é Eurípedes Barsanulfo? Vamos buscar uma afirmativa de Chico Xavier descrita no livro "Eurípedes, o Homem e a Missão": "Escrever sobre a vida de Eurípedes seria quase o mesmo que fazer a biografia de Jesus." Ainda no mesmo livro, temos a revelação de Emmanuel feita a Chico Xavier, dizendo que, nos tempos evangélicos, Eurípedes fora educado por Inácio, pupilo de João, o Evangelista, que se tornara grande propagador da Boa Nova. Adolescente ainda, Eurípedes substituira o benfeitor na pregação na Palestina, onde também manteve contatos com João e fora martirizado. Temos, então, uma pequena amostra da elevação do espírito desta criatura, nascida a primeiro de maio de 1880, na cidade de Sacramento (MG). Desde cedo, na sua infância, Eurípedes já dava sinais de bondade, preocupação com as pessoas necessitadas, se mostrava com uma grande capacidade de aprendizagem. Quando chegou a freqüentar seu primeiro Colégio, o Colégio Miranda, já trazia as "primeiras letras" do curso intensivo realizado na escola primária do senhor Joaquim Vaz de Melo Júnior. Por isso, no colégio Miranda fora encaminhado à classe adiantada e, em pouco tempo, se dedicava às funções de assistente dos professores. Na fase da sua adolescência, por volta de 1892, Eurípedes cria o Grêmio Dramático Sacramentando, junto com outros amigos, onde faz dali um novo veículo sócio-cultural da cidade.

      Um dos fatores que afligia muito a Eurípedes era a doença de sua mãezinha, que com freqüência apresentava crises nervosas. Por este motivo, desde cedo, Eurípedes se interessava pela leitura de livros de medicina, livros de homeopatia, com os quais julgava, futuramente, encontrar a cura para a doença de sua mãe. Isso o leva a criar, em 1897, então com 17 anos, a farmácia homeopática, com que atendia aos necessitados da periferia da cidade que buscassem sua ajuda e orientação.

      Importante também salientar que Sacramento, à época do nascimento de Eurípedes, era uma comunidade com pouco mais de dois mil habitantes, onde predominava a crença católica. Como toda comunidade, Eurípedes também fora criado dentro do catolicismo, e participava ativamente dentro das atividades da igreja. Funda, por volta de 1900, a irmandade São Vicente de Paula, onde atua como secretário. Sempre dentro da filosofia de auxiliar os mais necessitados, e, principalmente, sua mãezinha, Eurípedes alimenta o sonho de estudar medicina e, para isso, teria que mudar-se para a cidade do Rio de Janeiro, sonho esse, desfeito no dia em que se preparava para viajar e sua mãezinha apresenta então uma forte crise. Compreendendo, com este fato, que seu afastamento seria prejudicial à saúde dela, desiste definitivamente de se tornar médico. Com isso, então, volta-se para a grande função de educador e professor. Funda então, na cidade de Sacramento, o Liceu Sacramentano, em 1902, instituição que rapidamente se destaca pelo método de ensino.

      Devemos destacar também a vida política de Eurípedes, de 1907 a 1912, quando exerceu o cargo de vereador e trouxe para Sacramento melhoras de condição, como água encanada, bonde, luz, e um cemitério público. Mas o interessante de tudo isso, na vida deste missionário, é que quando reencarnamos trazemos, cada um de nós, uma cota a realizar no período que aqui estamos e quando chega o momento, se o trabalho tiver realmente que ser realizado, virá de todos os pontos o auxílio necessário para realização daquilo que nos propomos a fazer na Terra. Com Eurípedes não foi diferente. Em 1903, Eurípedes toma contato com a Bíblia, livro este, que era proibido sua leitura pela Igreja e Eurípedes o recebe das mãos de Padre Augusto Teodoro Maia. Ao ler o livro, Eurípedes levanta suas primeiras dúvidas com a leitura do sermão do monte e, procurando compreender as consolações prometidas pelo Cristo, busca respostas com o Padre Maia, que não o satisfazem. Nessa época, já havia na cidade de Sacramento, mais precisamente na Fazenda Santa Maria, reuniões de estudos de uma nova doutrina - Seria a doutrina Espírita - que se iniciaram por forças de fenômenos mediúnicos acontecidos na mesma Fazenda. Um dos responsáveis por estas reuniões era o Sr. Mariano da Cunha, o "Tio Sinhô", com quem Eurípedes freqüentemente discutia os diferentes pontos de vista religiosos. Até então, Eurípedes era católico e "Tio Sinhô", espírita. E não podendo responder à todas as indagações de Eurípedes, pois Tio Sinhô era um homem rude do campo, este lhe apresenta um livro que poderia explicar a Eurípedes o que ele não conseguia fazer. Era um exemplar do Livro "Depois da Morte", que Eurípedes devora a leitura em uma noite e confessava-se empolgado com a lógica convincente do autor que é Léon Denis. Desde então, Eurípedes passa também a se interessar pelo estudo da nova doutrina e a participar das sessões mediúnicas na Fazenda de Santa Maria, quando, então, em uma destas, Eurípedes roga mentalmente o esclarecimento para suas dúvidas acerca das bem aventuranças, e que estas pudessem ser esclarecidas pelo Apóstolo João, o Evangelista. Assim, então, esta resposta acontece através de um médium semi-analfabeto, numa linguagem sublime, onde finalmente Eurípedes compreendia, o mais perfeito código de consolações. Lembramos aqui como foi dito inicialmente, a ligação de Eurípedes com o Apóstolo João Evangelista.

      A partir de então, Eurípedes desliga-se definitivamente do catolicismo e torna-se Espírita. Sem dúvida alguma, no meio de uma cidade católica, sofre todas as conseqüências da sua escolha. É criticado e abandonado pelos amigos, é obrigado a fechar o Liceu Sacramentano, é muitas vezes considerado como louco mas, embora abatido pelas lutas, em momento nenhum perde a fé em Deus e mantém-se firme no propósito de servir a todos aqueles necessitados que ali estavam junto a ele. É o próprio Vicente de Paula que vem em comunicação mediúnica lhe orientar que se desligue definitivamente da irmandade São Vicente de Paula e o convida a criar outra instituição, cuja base seria o Cristo, o Diretor espiritual seria ele próprio (Vicente de Paula) e Eurípedes, o Dirigente material. Recebe também uma mensagem de Maria de Nazaré, que lhe orienta não fechar as portas da Escola, e criasse então o Colégio Allan Kardec, onde ensinaria, entre outras tantas matérias escolares, o Evangelho de Jesus. Eurípedes trabalha incansavelmente horas a fio, dia após dia, sem reclamar, sem vacilar e sempre solícito às orientações que as pessoas iam lhe pedir. Enfrentou muitas lutas como homem terreno. Foi ameaçado de morte, sofreu inquéritos policiais, por exercício ilegal da medicina, e em nenhum momento vacilou diante do trabalho que lhe competia realizar aqui na Terra. É claro que também tinha o reconhecimento das pessoas com quem convivia e que também, de alguma forma, lhe auxiliavam nas tarefas; eram seus familiares, seus alunos e os próprios doentes que, ao se curarem com a receita do "Seu Eurípedes" traziam no íntimo o reconhecimento e a gratidão pelo convívio com este Espírito de escol.

      Eurípedes desencarna a primeiro de novembro de 1918, na cidade de Sacramento, vítima da gripe espanhola mas, certamente, prossegue seu apostolado no plano espiritual, como vemos em mensagem psicografada por Chico Xavier, em 30/04/1950, quando ele mesmo nos diz: " A nossa marcha continua e, como sempre, irmãos meus, confirmo a promessa de seguir convosco até a suprema vitória espiritual ". Com isto, temos um breve resumo do que foi a vida deste missionário.